terça-feira, 27 de agosto de 2013

Conto: Fernando, Mariana e as estrelas

O nome dele era Fernando. Fernando tinha fama de desligado, e era verdade. Ele simplesmente não ligava para isso. Ele gostava de observar coisas que os olhos das demais pessoas não observavam. Suas melhores amigas eram as estrelas. Ele as amava, de verdade. Nomeou cada uma delas, cada uma das que conseguia enxergar. Gostava do inverno quando, apesar do frio, o céu estava limpo. E naquele dia estava. Aquela confusão organizada de astros boiando numa imensa e vaga cortina azul-marinho era a melhor definição de vida que alguém poderia escrever. Mas as pessoas não ligavam para nisso.
Ele estava boiando. Boiando numa imensa e vaga cortina azul-marinho sem expectativa de chegar a qualquer lugar que fosse. Uma vez ouviu num filme uma frase que gostou muito: "As vezes acho que não nasci pra vida real". Foi a melhor definição dele mesmo já feita por outra pessoa. Ele não havia nascido para a vida real. Era sonhador demais. Mas tentava. E tentava. E tentava. Deu seu máximo para construir uma ponte que ligasse o abismo que separava expectativas de realidades. Mas a distância era grande demais. Pobre garoto.
Certo dia, depois da escola, foi para o parque. Deitou naquela grama verde e ficou brincando de fazer poesia com as coisas que apareciam.
Era tão fascinante brincar de ser poeta que acabou perdendo a noção do tempo. E anoiteceu. E ele simplesmente sorriu. Era hora de conversar com as estrelas.
Ai ela apareceu. Mariana. Dentro do peito de Mariana o universo tinha o tamanho do seu coração. Mas as pessoas também não ligavam pra nisso.
Mariana deitou-se ao lado de Fernando, no gramado verdinho do parque, no frio do inverno e ali ficou. Não disse nada por um bom tempo. Apenas apontou para o céu e sorriu. 
Fernando sentiu que precisava quebrar o silêncio. Não o silêncio imposto pela atmosfera. Mas o silêncio em que mergulhara sua vida até então. E falou: "É Aline" "Oi?" "Aline, aquela que você apontou chama-se Aline. E aquela ao lado dela é sua irmã, Dora". Fernando ficou com medo de Mariana não amar suas amigas. Pior, ficou com medo dela não as enxergar. Mas Mariana enxergou. Enxergou e passou a amar Aline, Dora e todas as suas novas amigas como se fossem parte de si. E eram.
Mariana e Fernando passaram a se encontrar no parque todas as noites para contar às estrelas o que de poético haviam feito no dia. Fernando passou a amar Mariana tanto quanto amava Dora, Aline e suas amigas estrelas. 
Mariana também tinha brilho próprio. Ela sabia como brilhar apesar do escuro. Apesar do escuro do mundo. Fernando enxergava isso. Ele não havia nascido para o mundo real, ela também não.
Ai, numa noite qualquer, o céu estava nebuloso demais para que se enxergasse qualquer coisa do imenso manto azul marinho. Mesmo assim os dois deitaram-se no gramado do parque. Fernando virou-se para Mariana e apenas a observou. Ele agora tinha sua própria estrela. 
A ponte que estava construindo para ligar expectativas à realidades foi, enfim, demolida. Não tinha mais o menor interesse em cruzar essa fronteira.
 ---- # ----


Algo a mais:
Um dos melhores versos que Fernando compôs enquanto esperava pelas estrelas ficou assim:

Dedicado à Aline, Dora e todas as minhas amigas. De Fernando.

"Não é justo achar que observamos as estrelas
Pois a verdade é que elas nos observam 
A todo instante, basta anoitecer.
Faço meu melhor para que elas assistam a algo interessante
Mesmo sabendo que não há quase nada de interessante na humanidade.
Não espero aplausos, apenas que continuem brilhando para mim.
Apenas que continuem brilhando para mim."

Referências:
A personagem Mariana é de propriedade de um amigo meu, Gustavo Nascimento. Se você quer conhecer mais sobre a Mariana e sobre o trabalho do Gustavo clique aqui: Blog Páginas Avulsas. Desde já agradeço pela gentileza de permitir que Fernando e Mariana se encontrassem;
A frase a qual faço referência no texto é do filme "Desconstruindo Harry" (Woody Allen, 1997).
Ah, o Fernando, esse sim é minha criação. Ou sou criação dele... a verdade é que ainda não sei direito.

7 comentários:

  1. Muito lindo, adorei seu blog e curti sua página no blog. Deixei lá o link do meu blog, se puder visitar tbm! Beijo.

    ResponderExcluir
  2. que lindo texto, super curti e to seguindo...
    beijos

    blogmaricordeiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, muito obrigado :D Visitei seu blog e também adorei, estou te seguindo lá também! ;D

      Excluir
  3. Muito bom o texto, seguindo

    http://proseandopoesias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, muito obrigado e estou seguindo teu blog tbm! :)

      Excluir
  4. Adorei o texto. Aliás adoro praticamente todos que leio... Desde o começo. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa muito obrigado Rapha, e obrigado por me acompanhar desde o começo do blog ♥

      Excluir