terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Conto: Quando tudo faz sentido

Ainda são cinco da manhã, perdi o sono. Ontem fui dormir tarde, alguns amigos estiveram aqui... bebemos um vinho maravilhoso trazido por um deles. Me perguntaram se eu estava feliz. Minha mente não está preparada pra estas respostas curtas e diretas que as pessoas estão a costumadas a dar. Há muito mais por trás de um sim ou não. Mas aqueles amigos, embora queridos, não compartilham do mesmo pensamento que eu. Então eu respondi que sim, afinal era cômodo, era o que eles precisavam ouvir.
Mas na verdade não menti, estava feliz. Não completamente feliz, mas... feliz. Acredito que quando nos tornamos adultos ficamos um pouquinho menos felizes a cada decepção. Isso é cruel, mas necessário.
Dizem que esquecemos grande parte do que sonhamos poucos minutos depois de acordar, preciso de um papel e uma caneta, não posso deixar de registrar como estou me sentindo...
Pra variar sonhei com você... mas foi um sonho diferente do de ontem, do de anteontem, dos da semana passada. Nesse sonho não estava te beijando, não estava te abraçando, não estava sequer perto de você. Mas estava lá. E te olhava, puxa como eu te olhava; você estava feliz, sim, muito feliz... mas não me via. E. mesmo eu passando na tua frente, você não me via, e mesmo eu gritando na sua frente... você não me via. Ai resolvi me atrever a tocar teu rosto levemente com a mão. Mas nesta hora acordei.
Passei alguns minutos meditando sobre o que acabara de sonhar. Acho que entendi porquê você não me via. Era meu sonho, não seu. E você não queria estar lá, pois sabe que se quisesse também estaria aqui. E estaríamos deitados agora, e estaríamos nos abraçando, e eu estaria olhando seu rosto, eu estaria tocando ele.
Você não queria estar no meu sonho, eu não entendia isso mas agora entendo. Sempre achei injusta toda essa sua indiferença comigo, mas nunca havia percebido o quanto pode ser injusto contigo também. É meu sonho, são meus desejos, é minha vida... não sua. Mas dói, não me culpe.
Preciso entender que estou acordado, e que não estas mais aqui, aliás, nunca estará. Preciso entender que essa dor não é passageira, é definitiva e cabe a mim conviver com ela. Desde que me conheço por gente coleciono dores, algumas conservo até hoje e nem por isso morri, pelo menos não por completo. Há sempre um amanhã, pra mim e pra nós.
Acho que você sempre estará nos meus sonhos, não é algo com que eu possa lutar. Mas vai chegar o dia em que te encontrarei por lá, em uma das muitas esquinas daquele mundo, e não terei vontade de te tocar, de te abraçar, de te amar. Praticar o desapego é muito mais uma questão interna que externa.
Ainda vou me desapegar de você, do que penso que você é. Ainda vou me desapegar da bebida e do mal que ela me faz. Ainda vou desapegar das respostas complexas a cada pergunta que me fazem. Ainda vou me desapegar de mim, desse eu que só surgiu por causa de você.
E que a estrada rumo ao desapego seja satisfatória para mim e para ti. E que encontremos novos vícios pois eles dão sentido a vida. E que encontremos um amor, avassalador, daqueles de sacudir as estruturas e nos fazer repensar o antes,o agora e o depois.
E que nos esbarremos em alguma esquina desse caminho e consigamos olhar olho no olho e sorrir. E que seja doce, pra mim e pra ti. Tão doce quanto a primeira vez que nos vimos, quando não tínhamos pretensões em relação um ao outro, quando ainda não havia esse tal de amor pra estragar tudo.


9 comentários:

  1. Esse texto com certeza entrou pra minha lista dos preferidos! Me identifiquei do começo ao fim :D
    Amei e parabéns por mais esse lindo texto ♥

    ResponderExcluir
  2. “Você já pensou em tentar por mais uma vez achar outro alguém que lhe queira também? Não é todo rio que tem um mar pra se encontrar, dá pra evaporar e encontra-lo através do ar.” Esse texto me tirou o ar. Não porque eu me sinto assim, mas porque eu já me senti assim. E eu amei, amei de verdade. Com esse amor que eu senti, eu descobri que talvez a culpa de tudo fora toda minha. Eu amei demais. Só amei demais. Só. Eu aprendi com isso que eu senti que o amor não pode nos fazer mal, que nós precisamos aprender a amar. Quando eu vejo tudo o que passou, lembro-me do quanto sofri e do quando isso me fez crescer. Superar um amor assim te torna a pessoa mais forte do mundo. Hoje, eu amo de verdade. Eu amo da forma mais pura que existe, amo com todo o amor em mim, com todo o amor do mundo. Além de tudo, eu amo a mim. Isso me possibilitou a confiar no meu amor, no amor dele. Isso me tornou apta a me entregar de novo. Só depois que eu aprendi a viver sozinha, a me sentir suficiente comigo mesma eu aprendi, de verdade, a amar. Boa sorte com os seus sentimentos e espero ler em breve que, enfim, você se tornou o maior homem do mundo.

    ResponderExcluir
  3. Baita texto. Mesmo. Já li duas vezes!

    ResponderExcluir
  4. Que texto lindo, parabéns.
    Lindo fds pra você.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo texto, realmente maravilhoso! Lindas palavras e muito bem encaixadas em um completo texto onde conseguiu expressar seus sentimentos e emoções de forma a nos fazer sentir o mesmo! Me tenha como novo fã.

    _ Seguindo!

    Abraços mocinho! ;_)

    http://viaspensantes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. "Desde que me conheço por gente coleciono dores, algumas conservo até hoje e nem por isso morri, pelo menos não por completo. Há sempre um amanhã, pra mim e pra nós." Demais! Esse trecho foi funfo em mim. Tambrm preciso aprender a amar. O legal é que errando a gente aprende. Será? Se for porque eu ainda nao aprendi. Devo ter errado pouquinho né. Demais o texto mesmo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Victor. A verdade é que é tudo imprevisível demais pra gente tentar achar uma lógica exata de porque alguns relacionamentos dão certo e outros não. O importante é não desistir! Muito obrigado pelo elogio, abração!

      Excluir