domingo, 29 de julho de 2012

Poema: Confissão

Eu menti quando disse que seu beijo era o melhor que eu já havia provado
Menti quando falei que gostava do teu jeito abobado.
Eu menti quando te abracei e não queria te deixar partir
Menti todas as vezes que te fiz rir.

Eu menti em todas aquelas cartas, poemas e músicas de amor

Menti quando te falei da minha dor
Eu menti quando sorria tímido pra você
Menti quando disse que esse sentimento aqui dentro só fazia crescer.

Eu menti daquele dia na praia, menti daquele dia na praça, menti daquele dia no parque...

Menti quando falei que foram os melhores dias da minha vida.
Eu menti quando disse que adorava fazer amor no meio da madrugada
Menti, menti por nada.

Eu menti tanto que nem consigo mais lembrar,

Menti sobre mim, sobre nós, sobre o amor e sobre amar.
Menti tantas vezes que confrontar a verdade até desanima
Acima de tudo, nunca menti tanto quanto nos versos acima.

Dentre todas as mentiras que já disse a mim mesmo tentando me convencer

A mais estúpida foi dizer que conseguiria te esquecer.
Sou um mentiroso que sofre noite e dia de forma contida
Um eterno errante que viu em você a única verdade da vida.

É verdade.


(revisado em: 30/09/2013)
                  

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Conto: A guerra acabou

Se lembra da primeira vez que nos vimos? Era como se nos conhecessemos há séculos, talvez há vidas. Meu coração explodia numa tentativa clara de me dizer que estava diante da pessoa certa.
Não tínhamos nada em comum além da vontade de estarmos  juntos... isso era o suficiente. E foram tantos abraços, tantas risadas, tantos momentos que me recuso a jogar tudo pro alto.
    A guerra acabou e estou aqui, diante de ti, levantando bandeira branca. Por mais que as coisas tenham saído do controle, demorei a vida inteira pra encontrar alguém como você e agora que achei não vou deixar que você se vá. Será que você não entende que separados não somos nada e que sem você fico sem chão?
    A guerra acabou mas vou continuar lutando bravamente, a cada segundo que me restar, até meu último suspiro pra não deixar que nosso amor morra. Estou abandonando meu escudo de orgulho e me entregando de corpo e alma. Faça o que que quiser comigo, conosco, só não me peça pra desistir de nós pois eu não desistirei. Não cometerei o mesmo erro novamente deixando minha felicidade nas mãos do acaso.
    Não, eu não desistirei de nós e farei o que for preciso pra que você também não desista. Olhe para o céu, veja nossos nomes escritos nas estrelas, as mesmas estrelas que aparecem toda noite pra nos mostrar que pertencemos um ao outro, pra nos mostrar que não importa quão escuras pareçam as coisas, há sempre pontos de luz.. Você e eu somos pontos de luz e só quando estamos juntos conseguimos brilhar.
    Não, eu não desistirei de nós e segurarei sua mão até essa tempestade passar. Por mais sombria que seja a noite ela não resiste ao nascer do sol. Acalme-se pequena, apenas confie em mim e me abrace pois o sol está quase nascendo. Me dê sua mão e segure firme, o sol já vai nascer. 
    A guerra acabou, não há mais contra o que lutar. A guerra acabou e só depende de nós fazer com que nosso amor vença.





I won't give up (tradução)
E no fim, você ainda é minha amiga, 
Pelo menos não tivemos má intenção 
Para funcionarmos, não quebramos, não queimamos
tivemos de aprender a ceder sem ceder à pressão do mundo
Tive que aprender o que tenho,o que sou e quem sou
Não desistirei de nós
Mesmo se os céus ficarem violentos
Estou te dando todo meu amor
Ainda olho para cima.