domingo, 6 de novembro de 2011

Poema: O que for preciso





Por favor me deixe te olhar
enquanto ainda posso fazer isso,
O tempo parece correr contra nós
mas não se preocupe, ele fará o que é preciso.
*
Já me conformei que não posso te ter
Mas por favor não me peça pra te esquecer
Pois hoje só o que me restam são as lembranças
dos dias que passei com você.
*
Meu amor tem a mesma profundidade
dos versos que aqui te escrevo,
mas a mesma fragilidade do garoto assustado que sou.
Negar eu sei que não devo
Mas foi o que me restou.
*
E é tudo tão estranho
e tão simplismente complicado
que me leva ao questionamento
de como me vi por ti apaixonado.
*
E pela última vez me deixe abraçá-lo forte,
tão forte que serás capaz de sentir minha alma tocar a sua
tão forte que entenderás que não exagero quando falo de amor.
Me deixe abraçá-lo forte e assim,
talvez assim encontrarás as respostas à perguntas
que nem eu mesmo soube lhe responder.
*
E pela última vez me deixe te olhar
enquanto ainda posso fazer isso.
O tempo parece correr contra nós,
mas não se preocupe, ele fará o que é preciso...
ele fará o que for preciso.